Faça parte da indústria criativa!

Você já ouviu o termo indústria criativa? Ele diz respeito ao mercado de profissionais e empresas que lidam com produtos que possuem, além de outras características, valor imaterial. Um logotipo passa a ser a representação dos valores de uma empresa, um comercial transmite ideias e sensações. Esse nicho específico lida com o que chamamos de “criação”: estruturar conceitos e apresentá-los de maneira visual e/ou física.

A indústria criativa gera milhões por ano: são banners, animações, comerciais, logos, catálogos, sites, aplicativos e uma infinidade de produtos inventados por essa indústria que poderiam ser listados por horas. Para termos uma noção do seu alcance, segundo dados do Relatório de Economia Criativa 2013, as atividades culturais privadas e formais representam, em média, 5,2% do PIB (Produto Interno Bruto) de 40 países pesquisados.

Frente ao indiscutível crescimento de um mercado que exige que sejamos cada vez mais criativos, muitos se perguntam como ingressar e empreender dentro do nicho de criação. Vamos explorar algumas dessas dúvidas. Acompanhe.

Quem é o profissional da indústria criativa?

Conforme a tecnologia se expande observamos novas oportunidades e carreiras surgindo. Encontramos na indústria criativa profissionais que lidam com ilustração, programação, sonorização, publicidade e propaganda, manipulação de imagens, desenvolvimento de jogos, modelagem 3d, e uma gama de outras opções. Basicamente, todo profissional que vai utilizar as suas habilidades para resolver as questões conceituais, estéticas e funcionais de um projeto está de algum modo inserido na indústria criativa, seja lidando com o digital ou com o analógico.

Há também um grupo de investidores e empreendedores que buscam oportunidades dentro do mercado criativo. Com seus projetos e suas startups eles também fazem parte da indústria criativa.

Iniciando uma carreira profissional no mercado criativo

Não importa o quão talentoso você seja, sempre haverá mais para aprender. É comum vermos animadores, ilustradores, designers e outros profissionais da área em constante atualização, fazendo cursos ou frequentando outras faculdades; eles o fazem para lapidar as suas habilidades. Tenha em mente que o mercado criativo, assim como o mercado de tecnologia, muda constantemente. Se você quer atuar na área, a dica é simples:

Estude muito, pratique muito, monte um portfólio e sempre busque meios de se aprimorar.

O novo empreendedor criativo

Empreender hoje é muito mais fácil do que no passado, pois temos uma incrível ferramenta chamada internet! Novos negócios surgem com a rede como suporte a um custo-benefício incrível. O novo profissional criativo deve estar atento às oportunidades que surgem no mercado de desenvolvimento – ou usar a criatividade para criar as próprias oportunidade. A indústria criativa é rica e variada. Temos, por exemplo, marcas de estampas online que contam com a participação de vários artistas e sites de brindes que atuam exclusivamente em ambiente digital.

Empreender significa investir em uma oportunidade que muitas vezes foge do óbvio, ou então que é tão óbvia que ninguém quis desenvolver. A regra é básica: quanto mais referências e bagagem se tem, mais propriedade para se tornar um empreendedor criativo. Saiba que atividades simples como vender peças de arte online ou mesmo oferecer o seu trabalho também fomentam o mercado criativo.

O trabalho em agências e o trabalho freelancer

É comum que muitos profissionais comecem trabalhando em agências. Essa é uma excelente maneira de criar um portfólio e de se manter atualizado sobre as exigências do mercado. Normalmente os prazos são corridos, mas com o tempo se aprende a lidar com o ritmo da equipe e principalmente a aprimorar os trabalhos, que por vezes deverão ser refeitos.

Até adquirir experiência, digamos que você é um profissional cru; por isso, trabalhar em agências, estúdios ou qualquer ambiente criativo pode moldá-lo e prepará-lo para atuar futuramente como freelancer: atendendo diretamente os clientes e estabelecendo uma relação de prestador de serviços.

Algumas dicas finais

Vamos comparar as suas habilidades a uma espada – nesse caso, ela deve se manter sempre afiada. A indústria criativa cresce a cada dia, principalmente com a inserção de novas tecnologias; é um mercado que precisará de mais profissionais. Antenada a essas tendências, a Microlins preparou alguns cursos que vão fazer a diferença na sua trajetória profissional: programador de gamesanimador em 3d studiodesign gráfico, e profissional web.

O que você está esperando? Acesse os cursos agora e faça parte da indústria criativa!

Copyright © Microlins Guarulhos.  Todos os direitos reservados